Paraná

paraná bandeira 

Crédito: AA

Localizado na Região Sul e cortado pelo trópico de Capricór-nio ao norte, o Paraná (PR) possui temperaturas amenas, o que constituiu um dos fatores de atração de imigrantes europeus no fim do século XIX. Sua economia é inicialmente marcada pelo cultivo de café nas férteis terras roxas, e o estado passa a ser, depois,o grande produtor de grãos do país.O barreado tornou-se um prato caboclo típico do litoral, preparado com carne bovina, toucinho e temperos, cozido lentamente em panela de barro fechada.

O Paraná abriga a maior quantidade de remanescentes de araucárias dos 7,5 milhões de hectares originais, além de uma das mais importantes florestas subtropicais do mundo. O estado abriga também o Parque Nacional de Iguaçu, declarado patrimônio natural pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e a hidrelétrica de Itaipu, a segunda maior do mundo, atrás da hidrelétrica chinesa de Três Gargantas.

PANORAMA

Na última década, instalam-se no Paraná várias indústrias automobi­lís­­ti­cas, como a Audi/Volkswagen e a Renault. Destacam-se também a agroindústria e a indústria química. Maior produtor de grãos do país, o estado lidera a produção de milho e feijão e é o segundo de soja. O Paraná se destaca ainda na criação de suínos e é o maior produtor de aves do país.

População O Produto Interno Bruto (PIB) per capita do estado, de 20.814 em 2010, é o sétimo maior e está acima da média nacional, de 19.766 reais. Em 2011, a parcela da população com oito ou mais anos de estudo no estado é de 53,66%, acima da média nacional.

A taxa de homicídios dolosos, de 29,3 por 100 mil habitantes, em 2011, é a maior da Região Sudeste.

CAPITAL Curitiba é conhecida internacionalmente por oferecer boa qualidade de vida e funcionar como um laboratório de inovações urbanas, depois adotadas em outras cidades e capitais, como os calçadões sem veículos e os corredores exclusivos para linhas de ônibus, integradas por terminais. A cidade possui também cerca de 82 milhões de m2 de áreas verdes.

Formada por 26 municípios e contando com uma população de mais de 3,2 milhões de habitantes, a região metropolitana de Curitiba se desenvolveu de maneira contínua de 2000 a 2010. A taxa de crescimento populacional foi de 1,36%, ao ano, acima da média nacional, de 1,22% dos demais centros urbanos brasileiros.

GEOGRAFIA

Área: 199.307,9 km2.

Relevo: baixada no litoral, planaltos a leste e oeste, depressão no centro.

Ponto mais elevado: pico do Paraná, na serra do Mar (1.922 m).

Rios principais: Iguaçu, Itararé, Ivaí, Paraná, Paranapanema, Piquiri, Tibaji.

Vegetação: mangue no litoral, mata Atlântica, floresta tropical a oeste e mata de araucária no centro.

Clima: subtropical.

Municípios mais populosos: Curitiba (1.776.761), Londrina (515.707), Maringá (367.410), Ponta Grossa (317.339), Cascavel (292.372), São José dos Pinhais (273.255), Foz do Iguaçu (255.718), Colombo (217.443), Guarapuava (169.252), Paranaguá (142.452) (est. 2012).

Hora local: a mesma de Brasília.

Habitante: paranaense.

POPULAÇÃO

10.577.755 (est. 2012).

Densidade: 53,1 hab./km2 (est. 2012).

Cresc. dem.: 0,9% ao ano (2000-2010).

Pop. urb.: 86,8% (2011).

Domicílios: 3.480.000 (2011);

carência habitacional: 213.157 (2008).

Acesso à água: 89,6%;

acesso à rede de esgoto: 53,8% (2011).

IDH: 0,820 (2005).

SAÚDE

Mort. inf.: 17,3‰ (2009).

Médicos: 20,2 por 10 mil hab. (2011).

Leitos hosp.: 2 por mil hab. (2011).

EDUCAÇÃOEduc. infantil: 338.449 matrículas (72,5% na rede pública).

Ensino fundamental: 1.581.239 matrículas (88,9% na rede pública).

Ensino médio: 481.846 matrículas (87,3% na rede pública) (2011).

Ensino superior: 335.303 matrículas (33,9% na rede pública) (2010).

Analfabetismo: 6,3% (2011);

analfabetismo funcional: 18,1% (2011).

GOVERNO

Governador: Beto Richa (PSDB).

Senadores: 3.

Dep. federais: 30.

Dep. estaduais: 54.

Eleitores: 7.727.727 (5,5% do eleitorado brasileiro) (jul./2012).

Sede do governo: Palácio Iguaçu.

Praça Nossa Senhora da Salete, s/nº, Centro Cívico, Curitiba. Tel. (41) 3350-2400. Site: http://www.parana.pr.gov.br.

ECONOMIAPIB: R$ 217,3 bilhões;

participação no PIB nacional: 5,8% (2010).

Composição do PIB: agropec.: 8,5%;

ind.: 27,5%;

serv.: 64,1% (2010).

PIB per capita: R$ 20.814 (2010).

Export.: (US$ 17,4 bilhões): soja e derivados (19%), veículos automotores e autopeças (11%), carnes de aves (10%), preparações alimentícias (10%), açúcar de cana (8%), resíduos da extração do óleo de soja (8%), máquinas e equipamentos (5%), madeira e suas obras (4%), produtos das indústrias químicas (3%), outros (22%).

Import.: (US$ 18,8 bilhões): veículos automotores e autopeças (20%), máquinas e equipamentos (14%), petróleo (13%), adubos e fertilizantes (9%), materiais/aparelhos elétricos e eletrônicos (7%), produtos das indústrias químicas (7%), alimentos (6%), bens de informática (4%), outros (20%) (2011).

TELECOMUNICAÇÕES

Telefonia fixa: 2,8 milhões de linhas (mai./2012).

Celulares: 13,9 milhões (mai./2012).

Domicílios com computador: 1,8 milhão;

acesso à internet: 1,5 milhão (2011).

VIOLÊNCIAHomicídios dolosos: 29,3* (por 100 mil hab.);

roubos: 565,2 (por 100 mil hab.);

estupros: 30,5 (por 100 mil hab.);

delitos envolvendo drogas: 116,9 (por 100 mil hab.) (2011).

CAPITAL

Curitiba.

Habitante: curitibano.

População: 1.776.761 (est. 2012).

Veículos: 1.333.612 (mai./2012).

Prefeito eleito: Gustavo Bonato Fruet (PDT).

Nº de vereadores: 38.

Data de fundação: 29/3/1693.

*o dado refere-se ao número de vítimas e não de ocorrências

HISTÓRIA

No século XVI, a região do atual estado é uma área remota da Capitania de São Paulo, e os portugueses iniciam um lento povoamento limitado à baía de Paranaguá. No século seguinte, os bandeirantes paulistas organizam frequentes expedições armadas para capturar índios. Até então, colonos e jesuítas espanhóis são os principais povoadores de Paranaguá, no litoral, e de Curitiba, no planalto – onde nascem as vilas mais importantes.

No século XVIII, durante o ciclo do ouro em Minas Gerais, o Paraná fica em uma posição secundária na capitania, com uma economia de agropecuária de subsistência. Sob o Império, em 1853, o Paraná torna-se província independente, e, no fim do século, já na República, a economia é impulsionada pelo cultivo da erva-mate, a seguir pela exploração madeireira e pelas lavouras de café.

A expansão cafeeira nas férteis terras roxas do norte atrai migrantes de outros estados, além de imigrantes europeus e japoneses. Esse desenvolvimento causa conflitos: entre 1912 e 1916, camponeses pobres enfrentam forças federais e estaduais na defesa das terras e de sua crença religiosa, na região do Contestado, divisa com Santa Catarina. Na época, a região é disputada pelos dois estados.

DECLÍNIO DO CAFÉ No início do século XX, passam a atuar grandes companhias de colonização, como a inglesa Paraná Plantation. Surgem, assim, as cidades de Londrina e Maringá, que se tornam importantes centros produtores de café entre 1950 e 1970.

As mudanças econômicas, sobretudo na agroindústria, trazem prosperidade, mas também problemas sociais, particularmente no campo. Estima-se que, na década de 1970, pelo menos 1 milhão de pequenos proprietários e trabalhadores rurais tenham perdido sua terra e o emprego. Esse quadro é atribuído à concentração de terras, favorecida por uma geada, em 1975, que dizima as lavouras. Muitos agricultores sem terra se tornam boias-frias, outros migram para as regiões Norte, Centro-Oeste ou para o Paraguai. Os que ficam começam a se organizar num movimento de luta pela terra, dando origem ao atual Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O aumento do êxodo rural, nos anos 1980, contribui para um acelerado e tardio processo de urbanização do estado, que não conta com um mercado industrial e de serviços capaz de sustentá-lo.

FATOS RECENTES

CORRUPÇÃO Em 2010, o Ministério Público estadual denuncia esquema de desvio de cerca de 216 milhões de reais da Assembleia Legislativa, com a nomeação de funcionários-fantasma e outras irregularidades, como no pagamento de aposentadorias, de 1994 até 2010. Cinquenta funcionários teriam participado do esquema, incluindo o ex-diretor-geral da Casa, Abib Miguel. A defesa de Miguel alega que ele não está apto para responder ao processo por incapacidade psiquiátrica. Preso em março de 2012, Abib Miguel é libertado em maio, beneficiado pela concessão de habeas corpus.

DESASTRES Em 2011, vários municípios do Paraná são atingidos por fortes chuvas. Em abril, aproximadamente 24 mil pessoas são prejudicadas pelos alagamentos, principalmente no litoral. Em agosto, as chuvas afetam 120 mil pessoas, em pelo menos 17 cidades.

GRIPE Em 2012, o estado lidera o número de casos da gripe H1N1, com mais de mil confirmados e mais de 30 mortes. Se comparada à situação de 2011, houve um aumento de 10% na incidência da gripe no estado.

DENÚNCIA Em setembro de 2012, o Ministério Público denuncia os ex-prefeitos de Londrina José Joaquim Martins Ribeiro (PSC e, posteriormente, sem partido) e Barbosa Neto (PDT) por corrupção passiva, fraude em licitações, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e peculato. Estima-se que 3,8 milhões de reais tenham sido desviados.

PRISÕES Em setembro de 2012, a Polícia Federal, em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), realiza no estado a operação Água Grande, após investigações iniciadas em 2008. A ação incluiu a ocupação, apreensões e prisões ma Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Sete pessoas são presas em flagrante e 30 são indiciadas pelo despejo de esgoto in natura no rio Iguaçu, o maior do estado.

ELEIÇÕES No pleito de 2012, Gustavo Fruet (PDT) é eleito prefeito de Curitiba, com 60,6% dos votos válidos, no segundo turno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s