A ignorância é uma benção

artigo de Daniel Clemente

opiniao

[EcoDebate] O sistema político democrático é espantoso, causa direta de tristezas individuais e coletivas. Atuando como se fosse um espelho, nos revela quem nós somos, e para negar essa realidade que tanto nos assombra se faz necessário condená-lo. A democracia brasileira golpeada pela história percorreu caminhos tortuosos para chegar onde está momentaneamente, revelando piratas disfarçados de políticos que saquearam todo o ouro nacional sem a necessidade de desenterrá-lo. Os usurpadores dos recursos públicos agora sendo denunciados mostram através das macroeconomias a face do brasileiro nas micro-relações diárias.

Por exemplo, quando se faz um “gato” na transmissão televisiva a cabo, ao adquirir atestado médico com o propósito de “matar” do dia de trabalho, apresentando “comprovante de miséria” para ser contemplado com programas assistencialistas governamentais, elabora a “cola” na prova obtendo nota sem mérito, desvia recursos hídricos, sonega impostos, suborna o policial rodoviário por conta da habilitação vencida, oferece “adicional” ao médico para ter preferência no atendimento público. Enfim, o político atual nada mais é do que o reflexo da população que o elegeu.

Mas para não assumir a culpabilidade de todo o caos, possível de ser observado somente em sistemas democráticos, muitos preferem as máscaras de um passado nostálgico, que não existiu em sua perfeição, sendo resgatado por indivíduos que optam pela amnésia de seu próprio ser, e proclamam como a salvação de todas as impurezas a volta dos militares ao poder. Nada melhor do que a anulação da liberdade para não ter que decidir e assumir erros e acertos de futuras decisões, a escravidão oferece suas vantagens, o indivíduo deixa de ser o responsável por sua atuação, sendo conduzido como uma marionete, bastando obedecer às ordens impostas, e aceitar tudo o que lhe é oferecido. O estrangulamento da imprensa complementará o desfecho suicida, os corruptos não mais existirão, pois não serão denunciados, verbas públicas não mais serão desviadas pois não haverá investigação, todos os servidores públicos serão honestos pois não será revelada as suas desonestidades.

O cantor John Lennon dizia que “a ignorância é uma espécie de bênção, se você não sabe, não existe dor”. E nas diversas manifestações que se propagam pelo território brasileiro, alguns grupos clamam por essa benção, pedem a volta dos militares, não querem se reconhecer no espelho da democracia e ver que os políticos eleitos muito se parecem com o próprio povo, e que para eliminá-los da vida pública seria necessário uma mudança de postura, originando incômodo individual, desmontando pequenos palanques, onde o ator que denuncia o drama é o mesmo que propaga a comédia.

O grito pela volta dos militares ao poder federal é desferido por aquele que concorda com a modalidade de politico “rouba mas faz”, a sua imagem e semelhança. Vê na pena de morte a justiça absoluta, pois seus crimes não serão condenados a pena capital. Contrário a ascensão econômica das classes baixas por meio do assistencialismo estatal, sendo que a desigualdade o mantém em sua posição privilegiada.

A história da marcha das botas ao poder é narrada de forma heroica, desprendida do contexto politico mundial de sua época. Natural em um país que ignora seu próprio povo negligenciando educação. Se você acha que educação é cara, experimente a ignorância.

Daniel Clemente
Professor de História e Sociologia
Colégio Adventista de Santos
Pós Graduando em História, Sociedade e Cultura PUC-SP

in EcoDebate, 18/12/2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s