Deriva dos continentes e paleogeografia

http://www.comunitexto.com.br/deriva-dos-continentes-e-paleogeografia/#.Vp46nfkrLDc

Deriva dos continentes e paleogeografia

A teoria tectônica das placas (surgida na década de 1960) agrupa duas noções fundamentais: a deriva dos continentes e a expansão do assoalho oceânico. Assim, a comunidade de ciências da Terra passou de uma visão “fixa” do globo a um sistema litosférico em perpétuo movimento.

Os argumentos

Muitas observações e dados embasaram a ideia da deriva dos continentes:

  • a similitude da forma das bordas continentais;
  • a fauna e flora fósseis similares antes do período Mesozoico nos continentes atualmente separados;
  • sedimentos carboníferos (glaciais e hulhíferos) encontrados atualmente nos continentes, em posição incoerente com os meios a sua volta;
  • cadeias de montanhas que se tornam contínuas quando os continentes atravessados por elas são “reaproximados”;
  • dados do paleomagnetismo mostram que os continentes deslocaram-se e seguiram caminhos diferentes;
  • inversões registradas do campo magnético pela crosta oceânica mostram uma expansão contínua do assoalho oceânico.

As condições

Para que todos os dados tenham uma realidade na teoria tectônica das placas, é preciso considerar determinadas pressões, tais como:

  • a existência de uma litosfera rígida sobre a astenosfera dúctil, que permite o decuplamento mecânico do manto profundo;
  • a composição da litosfera deve ser um número finito de placas, cujos limites (zonas de subducção, falhas transformantes e dorsais) correspondem a zonas sísmicas;
  • os deslocamentos horizontais das placas devem-se aos movimentos convectivos no manto.

As grandes etapas da deriva dos continentes

No limite entre os períodos Paleozoico e o Mesozoico (há aproximadamente 250 Ma), distingue-se uma única massa continental, a Pangeia (resultante de um agrupamento continental durante o Paleozoico), rodeada de um oceano (Panthalassa). Em seguida, essa massa continental se dividiu e formou dois subconjuntos (Laurásia e Gonduana), com um novo oceano nas bordas a Oeste (Tétis). Esses blocos continentais continuaram a se fragmentar (e, eventualmente, convergir), para originar as placas e os atuais oceanos. Alguns pesquisadores extrapolam os deslocamentos atuais no futuro e preveem uma nova convergência continental “total” em 250 Ma, terminando um ciclo de aproximadamente 500 Ma.

geo

Tudo a ver

82-Resumos-Geologicos-CAPA-webEste texto foi retirado do livro “82 Resumos Geológicos“. A obra explica de forma didática e ilustrada os principais conceitos da geologia, além disso inclui problemas e questões de múltipla escolha para consolidar os conceitos apresentados, mapas e gráficos didáticos e palavras-chaves sobre cada tema apresentado. Aquele trabalhão de resumir a matéria em fichas está feito!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s