Oito políticas de Donald Trump que podem mudar os EUA (e o mundo)

Leia no original:

http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37920213Donald Trump faz discurso após confirmação da vitóriaImage copyright GETTY IMAGES

Donald Trump não só venceu as eleições e se tornará presidente dos Estados Unidos em janeiro como o seu partido terá maioria no Congresso abrindo caminho para que uma série de propostas se torne realidade.

É impossível prever que elementos da retórica de campanha continuarão sendo defendidos e o que, de fato, seria aprovado pelo Congresso.

Mas, com base no que foi dito durante a campanha, confira 8 áreas que podem mudar com Trump na Casa Branca:

1 – Imigração dificultada e muro na fronteira com o México

Tanto Barack Obama quanto Hillary Clinton apoiavam reformas no sistema de imigração americano, que dariam cidadania a imigrantes ilegais que hoje vivem nos Estados Unidos.

Já Trump declarou que pretende deportar 11 milhões de imigrantes ilegais e barrar totalmente a entrada de imigrantes muçulmanos nos Estados Unidos.

Sua promessa de construir um muro na fronteira com o México gerou revolta entre parte da comunidade hispânica no país.

Ao final da campanha, Trump não mudou o tom prometendo, por exemplo, “veto extremo” à imigração. Não deu detalhes, entretanto, sobre quais políticas iria realmente adotar. No entanto, é praticamente certo que as medidas prometidas pelos democratas não sejam implementadas.

Trump muro mexico
Image copyrightGETTY IMAGES
Popular entre os seguidores de Trump, a ideia de construir um muro na fronteira com o México gerou revolta entre parte da comunidade hispânica vivendo nos EUA.

2 – Suprema Corte mais conservadora

No momento, a Suprema Corte americana está dividida. Quatro juízes são considerados conservadores e outros quatro são considerados liberais. Falta nomeação do nono integrante.

Com a vitória, Trump poderá indicar mais um juiz conservador para a vaga criada pela morte de Antonin Scalia, em fevereiro.

Com o Senado nas mãos dos Republicanos, não deverá ser difícil para o novo presidente preencher os lugares ocupados por alguns juízes liberais prestes a se aposentar com juízes conservadores. Um supremo menos liberal e mais simpático às causas conservadoras, facilitaria a relação com o Executivo americano.

3 – Mais protecionismo econômico

Trump se manifestou contrário às políticas de comércio da China e prometeu proteger a indústria americana. Sua ameaça de impor tarifas punitivas pode gerar uma guerra tarifária.

Trump já se declarou contrário ao acordo de livre comércio entre os países do Pacífico, a Parceria Trans-Pacífica, que seria firmado entre Estados Unidos, Japão e outros dez países com costa no oceano Pacífico.

O Nafta, acordo entre Estados Unidos, México e Canadá também pode vir a sofrer revisões.

A relação comercial com o Brasil não foi tema de campanha, mas, em 2015, Trump citou o país em uma fala sobre relações comerciais injustas com os Estados Unidos. O discurso protecionista do candidato, portanto, pode entrar em colisão com expectativas do Brasil de exportar mais e amenizar o déficit que acumula com os Estados Unidos.

fronteira mexico eua comércioImage copyrightGETTY IMAGES
Os acordos de comércio internacional dos Estados Unidos podem sofrer revisão.

4 – Revisão da política de combate à mudança climática

Barack Obama é considerado o presidente americano mais ativo em relação às políticas de mudança climática. Trump deve liderar uma guinada nessa área.

Além de abandonar as medidas de Obama, o próximo presidente dos Estados Unidos afirmou durante a campanha que cancelaria os acordos de Paris de combate à mudança climática.

Trump também disse que cancelaria o financiamento americano aos programas de combate ao aquecimento global da ONU.

O posicionamento de Trump na área é claro: mais incentivo aos combustíveis fósseis, menos regulação para a indústria petrolífera e a aprovação do duto de petróleo que passará do Canadá para os Estados Unidos.

Manifestações trump imigrantes deportaçãoImage copyrightGETTY IMAGES
Políticas de deportação de imigrantes podem ser implementadas por Trump.

5 – Política nuclear e revisão do acordo com o Irã

É notório que Trump mantém nenhum apreço pelo acordo firmado entre os Estados Unidos e o Irã, que impediria o país de produzir armamentos nucleares.

O acordo, firmado após intensas negociações lideradas por Obama e pelo seu secretário de Estado, John Kerry, poderá vir a ser revisado pelo próximo presidente.

Trump também não se mostrou contrário à aquisição de arsenais nucleares por Japão e Coreia do Sul, gerando forte tensão com a China. A posição contrasta, por exemplo, com o comprometimento de Obama com um mundo com menos armas nucleares.

Obamacare pode ser revisto por Donald TrumpImage copyrightGETTY IMAGES
Principal política doméstica de Obama, o Obamacare, pode sofrer revisão com eleição de Trump à presidência.

6 – Fim do Obamacare

Aprovado sob duras penas no primeiro mandato de Barack Obama, o Obamacare – principal política doméstica do atual presidente que dá acesso ao seguro de saúde a pessoas que não podiam financiar um plano privado – deve ser substituído.

Trump prometeu implementar um sistema que seguirá os “princípios do livre mercado”.

Sua proposta provavelmente não encontrará obstrução no Congresso, de maioria republicana.

OtanImage copyrightGETTY IMAGES
Próximo comandante-em-chefe dos Estados Unidos mostrou pouco apreço à maior organização militar do mundo.

7 – Temor na Otan e mudança das relações com a Rússia

A Organização do Tratado Atlântico Norte, a maior aliança militar do mundo, encabeçada pelos Estados Unidos, não recebeu garantias do próximo comandante-em-chefe das forças armadas do país.

Pelo contrário, Trump classificou a OTAN de obsoleta e prometeu revisar o funcionamento da organização.

O principal comprometimento entre os países membros da OTAN é uma cláusula no acordo determinando que um ataque a qualquer membro da organização é considerado pelos demais membros como sendo um ataque ao próprio país.

De forma geral, a política internacional de Trump, que pode ser baseada em uma relação mais próxima com a Rússia, pode afetar questões como a guerra civil da Síria e os impasses na Ucrânia.

No entanto, uma eventual revisão do compromisso fundamental com a OTAN representararia uma guinada imprevisível na geopolítica internacional, afetando diretamente a Europa. Na União Europeia, as declarações contrárias a OTAN estão sendo vistas como um segundo baque após a votação dos britânicos pela saída do bloco, conhecida como Brexit.

8 – Menos impostos para negócios americanos

O republicano prometeu cortar impostos como nenhum presidente desde Ronald Reagan.

A promessa é reduzir impostos de maneira generalizada, mas beneficiando, principalmente, segundo a campanha de Trump, famílias com renda média.

Um dos itens dessa reforma prevê que nenhuma empresa americana pague ao governo mais do que 15% de seus lucros. Atualmente, esse percentual máximo pode chegar a 35%.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s